De Lula à Síria: um novo mapa

BRICS, um novo paradigma para a humanidade Marco Aurélio Garcia, junto com Celso Amorim, foi responsável pela projeção internacional do Brasil na última década, bem distante do “viralatismo” a que estamos sendo relegados atualmente com o homúnculo que ocupa a Presidência e a corte que o acompanha. O gesto de Lula e Celso Amorim ao Leia mais sobreDe Lula à Síria: um novo mapa[…]

A Modernidade e “revolução permanente”

“É preciso passar o Brasil a limpo” ou Goya, Saturno devorando seu filhos Líderes como Lula, Juscelino, De Gaulle, Roosevelt, Giap, Castro e Brizola, são figuras permanentes ao contrário dos agentes do império, meros fantoches que desaparecem com as espumas da história. A admiração da figura de um líder não pode se confundir com o Leia mais sobreA Modernidade e “revolução permanente”[…]

Liberalismo com populismo: A História de Louis-Philippe-Joseph D’Orléans, chamado Felipe Igualdade

O massacre de Quios, de Eugène Delacroix: fome e guerra ou a comemoração do 14 de julho na França Quando se celebra a Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão automaticamente se passa a exaltar os avanços trazidos para a modernidade pela Revolução na França. Contudo, o modelo que estava em jogo quando se Leia mais sobreLiberalismo com populismo: A História de Louis-Philippe-Joseph D’Orléans, chamado Felipe Igualdade[…]

Arqueologia do sistema parlamentarista: tudo menos uma Sereníssima República

Provavelmente o governo interino não tenha condições de aprovar muita coisa, quem diga qualquer reforma na Constituição, com a aprovação de no mínimo 308 parlamentares. Uma prova é a da Previdência, que assustou a muitos, e hoje virou uma fábula de Christien Andersen resumida por uma editora popular. No rolo compressor que levou Dilma, ainda Leia mais sobreArqueologia do sistema parlamentarista: tudo menos uma Sereníssima República[…]